TV Canção Nova

Nossa Sra. das Vocações

Nossa Sra. das Vocações
Senhor que dissestes "a messe é grande e poucos são os operários", nós vos pedimos que envieis muitas e santas vocações sacerdotais e religiosas para nossa Diocese. Necessitamos de sacerdotes que nos dêem o pão da Eucaristia e o Pão da Palavra e assim possamos viver a vossa vida. Virgem Santíssima, Mãe dos sacerdotes, intercedei junto a vossa Divino Filho pela perseverança e santidade de nossos sacerdotes e seminaristas. Amém. Nossa Senhora das Vocações, rogai por nós!

Quem somos

Minha foto
Guarulhos, São Paulo, Brazil
Somos irmãos no Discernimento Vocacional da Diocese de Guarulhos ( Marcelo, Nilton, Ricardo, Robson, Ítalo e o Bruno ) que, movidos pelo Espírito Santo tivemos a idéia de montar esse blog inspirado nos emails que trocamos. Com um único objetivo: transmitir mensagens de fortalecimento da fé, partilhar de nossa caminhada. Publicar tudo o que é suscitado em nossos corações. As tribulações, as vitórias e as alegrias que alcançamos dia-a-dia com Jesus e Maria. Seguindo a ordem nos dada pelo mestre dos mestres: " Ide pelo mundo e pregai o evangelho a toda criatura" Venha fazer parte conosco dessa missão confiada à todos nós!

Fale Conosco

Seguidores



Oração de Santo Inácio de Loyola
* Santo Inácio é o autor da oração

Tomai, Senhor, e recebei toda a minha liberdade e a minha memória também.
O meu entendimento e toda a minha vontade,
tudo o que tenho e possuo vós me destes com amor.
Todos os dons que me destes com gratidão vos devolvo.
Disponde deles, Senhor, segundo a vossa vontade.
Dai-me somente o vosso amor, vossa graça.
Isto me basta, nada mais quero pedir.
Amém.

Nilton de Carvalho
Vocacionado - Diocese de Guarulhos

A Presidência da CNBB recebeu uma carta da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (29/06/08) com orientações sobre a “tradução e pronúncia, no âmbito litúrgico, do divino Nome significado no tetragrama sagrado - YHWH”. Apresentamos aqui um resumo desta carta.

I – Parte expositiva

a) Na Bíblia, o nome próprio do Deus de Israel, conhecido como tetragrama sagrado ou divino, está escrito com quatro letras consoantes do alfabeto hebraico na forma YHWH, traduzido sob diversas formas de escrita e pronúncia em nossas orações e cantos, como, por exemplo, “Yahweh”, Jahweh”, “Javé” etc.

b) No Antigo Testamento, o santo nome de Deus revelado no tetragrama YHWH, era expressão da infinita grandeza e majestade de Deus, e, por isso, NÃO SE PODIA PRONUNCIÁ-LO, sendo, portanto, substituído, na leitura do texto sagrado, com uma denominação alternativa – ADONAY – que significa “Senhor”.

c) A tradução grega do Antigo Testamento, chamado dos Setenta, usou regularmente o tetragrama hebraico com o vocábulo grego Kyrios, que significa “Senhor”. Uma vez que o texto dos Setenta constituiu a Bíblia das primeiras gerações cristãs de língua grega, em que também foram escritos todos os livros do Novo Testamento, os próprios cristãos das origens nunca pronunciaram o tetragrama divino. Na tradução para o latim, o termo foi traduzido pelo vocábulo “Dominus”, correspondente tanto ao hebraico Adonay como ao grego Kyrios.


d) Na cristologia neo-testamentária, o termo Senhor é reservado a Cristo ressuscitado, proclamando assim a sua divindade (cf. Fl 2,9.11; Rm 10,9; 1 Cor 2,8; 12,3; Rm 16,2; 1 Cor 7, 22; 1 Ts 3,8 etc).


e) O fato da Igreja ter deixado de pronunciar o tetragrama do nome de Deus, além de um motivo de ordem filológico, expressa também a fidelidade à tradição eclesial, uma vez que o tetragrama sagrado nunca foi pronunciado em âmbito cristão nem traduzido em nenhuma das línguas em que a Bíblia foi traduzida.

II – Parte dispositiva

1. “Nas celebrações litúrgicas, nos cantos e nas orações, não se use nem se pronuncie o nome de Deus na forma do tetragrama YHWH.


2. Nas traduções do texto bíblico para as línguas modernas, destinadas ao uso litúrgico da Igreja, empregue-se para o tetragrama divino o equivalente Adonay / Kyrios: “Senhor”.


3. Nas traduções, no âmbito litúrgico, de textos que tenham, um a seguir ao outro, o termo hebraico Adonay e o tetragrama YHWH, traduza-se Adonay com “Senhor” e use-se a forma “Deus” para o tetragrama YHWH”.




Pedimos, portanto, que as equipes de liturgia, entre elas, os responsáveis pelos cantos litúrgicos, fiquem atentos a esta orientação da Congregação para o Culto Divino e façam as devidas adaptações. Na revisão dos Lecionários, do Missal Romano e do Hinário Litúrgico, a equipe de tradutores da CNBB seguirá esta orientação.


Brasília, 29 de outubro de 2008.
Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia




Luiz Marcelo Gonçalves
Vocacionado Diocesano


Aprenderemos como disse um autor desconhecido que:
“Somente a água que damos de beber ao próximo poderá saciar nossa sede. Somente a roupa que doamos poderá vestir nossa nudez.
Somente o doente que visitamos poderá nos curar.
Somente o pão que oferecemos ao irmão poderá nos satisfazer.
Somente a palavra que suaviza a dor poderá nos consolar.
Somente o prisioneiro que libertamos poderá nos libertar”.

Somente a partir da matemática de Deus é que teremos o sinal de um novo céu e uma nova terra; pois não é a lógica fria e irracional, mas a lógica da compaixão, amor, solidariedade e partilha que multiplica, abundantemente, em nós, todas as graças divinas.

Oh bela lição a aprender: A matemática de Deus!
Ricardo Teixeira
Vocacionado - Diocese de Guarulhos


Por que só Comungamos a Hóstia e não bebemos o Vinho consagrado?

Em primeiro lugar é preciso dizer que em muitas igrejas as pessoas já Comungam sob as duas espécies, isto é, Pão e Vinho consagrados. Depende de cada Bispo essa autorização, desde que não haja risco de profanação.É preciso entender que no Pão consagrado Jesus está em plenitude: corpo, sangue, alma e divindade; assim, quem Comunga o Pão eucarístico comunga plenamente. Da mesma foram Jesus está em plenitude apenas no Vinho. A distribuição do Vinho consagrado nem sempre é fácil, especialmente quando há grande multidão, e isso pode gerar profanação do Vinho sagrado, havendo derramamento do mesmo; além disso, a quantidade que não for usada não pode ser guardada no Sacrário porque se estraga, e Jesus não mais estará ali presente.
Por isso a Igreja optou pela Comunhão apenas no Pão consagrado.
Profº Felipe Aquino
Ricardo Teixeira
Vocacionado - Diocese de Guarulhos

“Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres,
depois, vem e segue-me” (Mt 19,21).

Vivia eu no silêncio e me conformava com pequenas coisas, com poucas palavras.
Era como um pássaro a se entreter com vôos curtos...
Mas tu chegaste: entraste com teu vento em meu pós e causaste um redemoinho.
Colocaste teu sopro em meu corpo e aqueceste meu sangue.
Levantaste uma tempestade a meu redor...
E eu disse: “Olha, Senhor, não quero lutar contigo, não me
imponhas as mãos, pois sou fraco. Tua voz chegou
ao silêncio: “Tenho junto a mim, vem sem nada”.
Rapidamente peguei minha roupa e calcei as sandálias:
- Aqui estou, Senhor.
- Não venhas assim, me respondeste, vem sem nada.
Fui aos pobres e reparti minha fazenda e minha casa: Tomem, tomem!
- Assim, Senhor?
- Não, assim não. Vem sem nada.
Chamei meus pais e lhes devolvi meu nome e sobrenome:
- Senhor, me queres assim?
- Não, assim não, te quero sem nada.
Corri aos campos e fiz uma fogueira com todas as minhas palavras e queimei meus lábios e minha língua com as brasas:
- Assim, Senhor, me queres assim?
- Não, assim não, hás de vir sem nada.
Então repliquei:
- Porque, Senhor, me tratas como um louco de um lado para outro?
- Porque não me dizes de uma vez o que hei de fazer?
Deus atendeu minha queixa e me disse:
- Vá à casa do oleiro. Que ele faça um cântaro com teu barro.
Depois vem a mim, que eu o encherei de água, e tu correrás a dar de beber aos que têm sede, e derramarás sobre os arrependidos, irrigarás a terra seca. Não temas se teu cântaro se quebrar, nem te preocupes se dispensarem os pedaços pela superfície da terra, porque então te chamarei a mim e verás como eu te quero e te abençoarei na tua presença!

Pe. Canísio Mayer S.J.

Luiz Marcelo Gonçalves
Vocacionado Diocesano

| | edit post

(Baseado em textos de Santo António Maria Claret)

Muitas vezes nos colocamos diante de Jesus presente na Eucaristia e, envolvidos com nossos problemas e tribulações, não aproveitamos esses momentos preciosos diante de Deus Vivo. Padre António Maria Claret (1807 - 1870), fundador dos Claretianos, inspiradamente desenvolveu textos que nos levam a uma profunda intimidade com Deus na oração. Deve-se fazer a oração diante do Santíssimo, por um período mínimo de quinze minutos, se possível diariamente. Inicie sempre a sua Adoração procurando ouvir a Voz de Jesus dizendo-lhe: “Não é preciso, meu filho(a), saber muito me agradar; basta amar-me fervorosamente. Fala-me, pois, de uma maneira simples, assim como falarias com o mais íntimo dos amigos…”.



Tens algum pedido em favor de alguém?
Menciona-me o seu nome e diz-me o que desejas que eu lhe faça. Pede muito. Não receies pedir. Conversa comigo, simples e francamente, sobre os pobres que gostarias de consolar, sobre os doentes que vês sofrer, sobre os desencaminhados que tanto desejas ver no caminho certo. Diz-me a favor deles ao menos uma palavra.

E tu, não precisas de alguma graça?
Diz-me abertamente que te reconheces orgulhoso, egoísta, inconstante, negligente…E pede-me, então, que Eu venha em teu auxílio nos poucos ou muitos esforços que fazes para te livrares dessas faltas. Não te envergonhes! Há muitos justos, muitos santos no céu, que tinham exatamente os mesmos defeitos. Mas pediram com humildade, e… pouco a pouco se viram livres deles. Tão pouco deixes de me pedir saúde, bem como bons resultados nos teus trabalhos, nos teus negócios ou estudos. Posso dar-te e realmente te darei tudo isso, contanto que não se oponha à tua santificação, mas antes a favoreça. Mas quero que o peças. O que necessitas precisamente hoje? Que posso fazer por ti? Ah, se soubesses quanto Eu desejo ajudar-te!

Andas preocupado com algum projeto?
Conta-me. O que é que te ocupa? Que pensas? Que desejas? Que posso Eu fazer por teu irmão, por tua irmã, pêlos teus amigos, pela tua família, pêlos teus superiores? Que gostaria tu de lhes fazer? E no que se refere a mim, não sentes o desejo de me ver glorificado? E não queres fazer um favor aos amigos que amas, mas que talvez vivam sem jamais pensar em mim?

Dize-me, em que se detém hoje, de maneira especial, a tua atenção?
Que desejas mais vivamente? Quais os meios que tens para alcançar? Conta-me se não consegues fazer o que desejas e Eu te indicarei as causas do insucesso. Não gostarias de conquistar os meus favores?

Por acaso estás triste ou mal-humorado?
Conta-me com todos os pormenores o que te entristece. Quem te feriu? Quem ofendeu o teu amor próprio? Quem te desprezou? Conta-me tudo. Então, em breve, chegarás ao ponto de me dizer que imitando-me, queres perdoar tudo e de tudo te esqueceres. Como recompensa hás de receber a minha bênção consoladora.

Acaso tens medo?
Sentes na tua alma melancolia e incerteza que, embora não justificadas, não deixam de ser dolorosas? Lança-te nos braços da minha amorosa Providência. Estou contigo, a teu lado. Vejo tudo, ouço tudo e, em momento algum te desamparo. Sentes frieza da parte de pessoas que antes te queriam bem e que agora, esquecidas, se afastam de ti apesar de não encontrares em ti motivo algum para isso? Roga por elas, pois se não forem obstáculo à sua santificação, Eu as trarei de volta a teu lado.

Não tens alguma alegria que possas partilhar Comigo?
Por que não me deixas tomar parte na tua vida com a força de um bom amigo? Conta-me o que desde ontem, desde a tua última visita, consolou e agradou teu coração. Talvez fossem surpresas agradáveis; talvez se tenham dissipado teus negros receios; talvez tenhas recebido boas noticias, uma carta, uma demonstração de carinho; talvez tenhas conseguido vencer alguma dificuldade ou sair de algum apuro. Tudo é obra minha. Dize-me simplesmente, como um filho ao seu pai: “Obrigado, meu Pai, obrigado!”

E não queres prometer-me alguma coisa?
Bem sabes que eu leio que está no fundo do teu coração. É fácil enganar os homens, mas a Deus não podes enganar. Fala-me, pois, com toda a sinceridade.Fizeste o propósito firme de, no futuro, não mais te expores àquela ocasião de pecado, de te privares do objeto que te seduz, de não mais leres o livro que exalta a tua imaginação, de não procurares a companhia das pessoas que perturbam a paz da tua alma? Serás novamente amável e condescendente para agradar àquela outra, a quem, por ter te ofendido, consideraste até hoje como inimiga?

Ora, meu filho, volta agora às tuas ocupações habituais: ao teu trabalho, à tua família, aos teus estudos; mas não esqueça os quinze minutos desta agradável conversa que tiveste aqui, a sós comigo, no silêncio do santuário. Pratica tanto quanto possível o silêncio, a modéstia, o recolhimento, a serenidade e a caridade para com o próximo. Ama e honra minha Mãe que é também tua. E volta amanhã, com o coração mais amoroso, mais entregue a mim.No meu coração hás de encontrar, em cada dia, um amor totalmente novo, novos benefícios e novas consolações. Vem que Eu aqui te espero”.

(Texto extraído do livro: “Uma visita ao Santíssimo Sacramento” – Editora Canção Nova)


Luiz Marcelo Gonçalves
Vocacionado Diocesano



Oração de Santa Marta

Ó gloriosa Santa Marta, entrego-me confiante em vossas mãos, esperando o vosso amparo. Acolhei-me sob a vossa proteção, consolai-me nos meus sofrimentos. Em prova do meu afeto e devoção, ofereço-vos esta luz, que acenderei. (acende-se uma vela).

Pela felicidade que tivestes em hospedar em vossa casa o Divino Salvador do mundo,consolai-me em minhas penas. Intercedei hoje por mim e por minha família, para que tenhamos o auxílio de Deus Todo-Poderoso nas dificuldades da nossa vida.

Suplico-vos, gloriosa santa, que em vossa grande bondade, me consigais especialmente a graça que ardentemente vos peço e que tanto preciso (faz-se o pedido).

Rogo-vos que me ajudeis a vencer todos os obstáculos que se apresentarem em meu caminho, com a mesma serenidade e fortaleza que vós tivestes ao transpassar o dragão que tendes aos vossos pés. Amém, Jesus.

(Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai).

Santa Marta, rogai por nós!


Nilton de Carvalho
Vocacionado - Diocese de Guarulhos

Uma noite tive um sonho...

Sonhei que estava andando na praia com o Senhor. E através do Céu, passavam cenas de minha vida.

Para cada cena que passava, percebi pegadas na areia. Uma era minha e a outra do Senhor.

Quando a última cena de minha vida passou
diante de nós, olhei para as pegadas na areia,

Notei que muitas vezes no caminho da minha vida havia apenas um par de pegadas na areia.

Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis
da minha vida.

Isso me aborreceu deveras e perguntei então ao Senhor:

- Senhor, Tu me disseste que,
uma vez que eu resolvi Te seguir,Tu andarias sempre comigo, todo o caminho....

- Mas notei que nos momentos das maiores atribulações do meu viver havia na areia dos caminhos da vida, apenas um par de pegadas.

- Não compreendo... Porque nas horas em que eu mais necessitava Tu me deixastes?

O Senhor respondeu :
- Meu precioso filho, Eu te amo e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do teu sofrimento.

Quando vistes na areia apenas um par de pegadas, foi exatamente aí que......

EU TE CARREGUEI EM MEUS BRAÇOS!



Moral da História: Quantas vezes, nós nos sentimos só

Pensando que DEUS nos esqueceu

E por um momento a nossa Fé desaparece

Nos sentimos Fracos, sem esperança...

E justamente neste momento DEUS vem e nos diz:

Filhos não temam e não se aflinjam

Pois eu sempre estarei ao seu lado

E nunca te deixarei desampadaro...

Irmãos,

Deus está conosco, confie somente nele

E nunca se sentirás só!!



Robson Ferreira
Vocacionado - Diocese de Guarulhos


Senhor Jesus Cristo,

Eis aqui o seu filho que clama por sua justiça neste mundo de injurias, desgraças, desumanidade, incredulidade, desunião, desamor, tristeza, infidelidade, desafeto, crueldade e monstruosidade.

Pai, peço-lhe que derrame seu amor e sua misericórdia, sobre a vida dessas pessoas, que não conhecem a ti, e as que de forma irracional, fazem mal a vida de seus semelhantes.

Custa-me a crer que pessoas da mesma família se odeiem e permaneçam com o coração cheio de rancor.

Dá-me Senhor, um coração novo e puro para Amar a todos sem distinção; e poder levar o seu amor a todas as criaturas.

Deixa-me sentir a cada dia, quão grande é seu amor e misericórdia, para que eu posso seguir por inteiro seu exemplo bondoso e compassivo, torna-me um ser humano melhor, uma pessoa melhor e se for de sua vontade um sacerdote ungido com a tua Graça.

Orienta-me pelos seus caminhos de Luz e Graça, e guia-me com sua mão poderosa para que eu não me perca nem desvie de seu caminho, daí alento a meu coração e minha alma purificando-me de todos os pensamentos, atos ou sentimentos que não pertencem a ti.

Para que eu sempre possa dar o meu melhor a todos Senhor, nunca negar meu auxílio, minha presença, minha amizade, minhas palavras de conforto e gratidão!!

Por minha vida Senhor, quero ver esse mundo se tornar num mundo de PAZ, num mundo digno e melhor para se viver!!

Sei que sua graça irá me conduzir a perfeição e a Santidade, e deixarei Senhor, que me conduza pelos prados e campinas verdejantes.


Tenho fé absoluta que pelas suas Chagas o mundo será remido do pecado.... E eu quero fazer parte de tua luta Senhor, unidos venceremos pra honra e glória do Seu Santo Nome.


Seu nome tem poder..... Tu és o DEUS do impossível, quem anda ao seu lado jamais se perderá!

Mesmo que eu ande no vale das sombras da morte, não temerei mal algum
Pois tu estarás ao meu lado, e nenhum mal me atingirá!


Acalma meus passos Senhor.




Tudo isso peço e clamo em nome de JESUS CRISTO.... O Salvador de nossas VIDAS!





Robson Ferreira
Vocacionado - Diocese de Guarulhos

Qual mãe resistiria a toda essa dor? Qual mãe conseguiria suportar ver seu filho sendo flagelado, julgado, condenado e tão brutalmente assassinado diante de seus olhos e ainda assim, ficar em silêncio?
Maria, a esolhida, a concebida sem pecado!
Não me restam dúvidas de que, tanto quanto Jesus, Maria também sentiu todas as dores da Cruz.
E como se não bastasse tudo o que Jesus nos ensinou, ainda na cruz ele encontrou forças para dizer algumas de suas últimas frases: " Filho, eis aí tua mãe".
Obrigado Jesus por nos deixar tão rico tesouro.







Nilton de Carvalho

Vocacionado - Diocese de Guarulhos

Na Igreja Católica há dois tipos de culto: o de latria e o de dulia.
O culto latria (λατρεια) é o culto de adoração, prestado somente Deus, como supremo Senhor de vida e de todo universo, confessando que absolutamente tudo dele.
O culto de dulia (δουλεια) é o culto de veneração, prestado aos santos e, estando a Virgem Maria acima de todos na corte celeste, é-lhe prestado um culto especial de veneração, chamado hiperdulia (‘υπερδουλεια).
A Mariologia, instituída como uma das bases da fé Católica Romana, fez surgir ao longo dos tempos, diversas formas de devoção àquela que chamam de Nossa Senhora, com diversas denominações.



Nossa Senhora das Vocações


Títulos de Maria

Invocada por suas denominações, a veneração a Maria é responsável pela multiplicidade de nuances em seu caráter, que é admirado em aspectos parciais
Segue abaixo os títulos dedicados à Virgem Maria:

Nossa Senhora da Abadia -imagem encontrada perto da Abadia Bouro na arquidiocese de Braga, Portugal

Nossa Senhora da Ajuda - relembra Maria junto à cruz, também implorando a Deus pelo gênero humano

Nossa Senhora do Amor Divino - relembra o amor especial que Deus dedicou a Maria, escolhendo-a por sua Mãe

Nossa Senhora do Amparo - relembra Jesus crucificado, entregando Maria como Mãe de todos os homens;

Nossa Senhora dos Anjos - Relembra Maria, como rainha das cortes celestes e também faz alusão à cidade de Assis, local para onde havia sido levado um pedaço do túmulo da Virgem e se ouvia sempre o canto dos anjos; A cidade de Los Angeles, nos EUA, foi batizada com seu nome : Nuestra Señora la Reina de Los Ángeles de Porciúncula.

Nossa Senhora da Anunciação - Visita do arcanjo Gabriel a

Nossa Senhora Aparecida, ou da Conceição Aparecida - Imagem encontrada no Vale do Paraíba ( São Paulo )

Nossa Senhora da Apresentação - Apresentação de Maria no Templo, em Jerusalém;

Nossa Senhora Aquiropita - Imagem que não foi pintada por mão humana, de devoção em Rossano, na Calábria.

Nossa Senhora da Assunção - relembra a elevação de Maria, de corpo e alma, aos céus

Nossa Senhora Auxiliadora - relembra o auxílio de Maria ao Papa Pio VII durante o domínio napoleônico;

Nossa Senhora do Belém - relembra a maternidade de Maria, na cidade de Belém

Nossa Senhora da Boa Hora - relembra a proteção de Maria na hora dos partos e na hora da morte;

Nossa Senhora da Boa Morte - Proteção aos agonizantes;

Nossa Senhora da Boa Nova - Maria é que traz aos homens a Boa Nova (Evangelho ) do nascimento de Jesus

Nossa Senhora da Boa Viagem - relembra Maria como protetora dos portugueses que partiam nas viagens de descobrimento do Novo Mundo;

Nossa Senhora do Bom Conselho - relembra Maria como grande conselheira dos Apóstolos, cultuada desde o século V, na cidade de Genazzano, Itália

Nossa Senhora do Bom Despacho - celebra o prestígio de Maria perante Deus, pelo despacho da encarnação do Verbo

Nossa Senhora do Bom Parto / do Parto - Nascimento de Jesus, tendo Maria permanecido virgem antes, durante e depois do parto.

Nossa Senhora do Bom Socorro - relembra o socorro de Maria aos cristãos, celebrado, desde o século X, em Blosville, na Normandia

Nossa Senhora do Bom Sucesso - relembra o auxílio da Mãe de Deus para os que almejam sucesso em seus tratamentos de saúde e nos seus empreendimentos materiais;

Nossa Senhora do Brasil - relembra as inúmeras graças concedidas, por seu intermédio, aos brasileiros;

Nossa Senhora das Brotas - relembra o fato de folhas brotarem numa altar de Nossa Senhora, no início do povoamento de Cuiabá, MT no século XVII, também venerada em Piraí do Sul, após um milagre envolendo a estampa de Nossa Senhora deixada com uma moradora da cidade por Santo Antônio de Sant´anna Galvão;

Nossa Senhora da Cabeça - imagem encontrada no Pico da Cabeça, Serra Morena, na Andaluzia, no século XIII

Nossa Senhora do Cabo da Boa Esperança - relembra a proteção de Maria, no século XV, quando protegeu os portugueses , na sua esperança de chegar às Índias, dobrando o Cabo das Tormentas

Nossa Senhora da Luz, das Candeias ou da Candelária - relembra a purificação de Maria no Templo, comemorada com uma procissão luminosa

Nossa Senhora de Caravaggio - Aparição da Virgem , no século XV, em Caravaggio, Itlália

NossaSenhora do Carmo, do Monte Carmelo - relembra o convento construído em honra à Virgem, nos primeiros séculos do cristianismo, no Monte Carmelo, na Samaria;

Nossa Senhora da Carpição - originária de cerimonial de carpição ou capina de um terreno onde foi ereta uma capela dedicada à Virgem Maria, em São José dos Campos, São Paulo, no século XIX;


Nossa Senhora de Ceuta ou do Bastão - relembra o auxílio da Virgem Ana conquista de Ceuta por D. João I, sua imagem traz um rico bordão na mão, donde vem o termo “do Bastão”;

Nossa Senhora da Conceição - Relembra que Santa Ana concebeu Maria, pura sem pecado.

Nossa Senhora da Consolação - relembra a Virgem como “Consoladora dos aflitos”, devoção iniciada por Santa Mônica

Nossa Senhora de Copacabana - Imagem esculpida por um índio, Francisco Tito Iupanqui, no século XVI, na aldeia de Copacabana, às margens do Lago

Nossa Senhora da Correia - relembra a correia da cintura da Virge Maria, símbolo de pureza, com que as mulheres judias eram cingidas desde a infância

Nossa Senhora dos Desamparados - relembra a proteção de Maria a uma confraria criada , no século XV, em Valência, Espanha, para acolher crianças desamparadas;

Nossa Senhora Desatadora de Nós - relembra que a Virgem Maria liberta os homens das aflições da vida, desata os nós que os escravizam

Nossa Senhora do Desterro - A fuga para o Egito

Nossa Senhora Divina Pastora - Devoção a Virgem Maria como pastora de almas, surgida no século XVIII em Sevilha, Espanha;

Nossa Senhora da Divina Providência - relembra que a Virgem confiou plenamente na Divina Providência, entregando-se totalmente a Deus

Nossa Senhora das Dores (ou da Piedade/da Soledade/ das Angústias/ das Lágrimas/ das Sete Dores/ do Calvário/ do Pranto) - Refere-se às sete dores da Virgem Maria: a profecia de Simeão, a fuga para o Egito, a perda do menino Jesus, o encontro no caminho do Calvário, a morte de Jesus, o golpe da lança e a descida da cruz, e o sepultamento de Cristo.

Nossa Senhora da Encarnação - relembra a encarnação do Verbo no seio puríssimo da Virgem

Nossa Senhora da Escada - A Virgem é comparada à “Escada de Jacó”, que liga o céu e a terra. També faz alusão aos trinta e um degraus que davam aceso a um santuário de Lisboa, Portugal

Nossa Senhora da Esperança - relembra a Virgem na esperança e na iminência do parto divino

Nossa Senhora da Estrela - imagem oculta por Dom Rodrigo, último rei dos visigodos, em 711, quando da invasão árabe; sendo descoberta, quando a Vila de Marvão, em Portugal, foi liberada do domínio muçulmano; Maria é chamada “Aurora da Salvação

Nossa Senhora de Fátima, do Rosário de Fátima - Aparição em Fátima, Portugal

Nossa Senhora da Fé - relembra que a vida da Virgem foi um contínuo “Ato de Fé, sendo esta devoção medieval originária da França e Bélgica;

Nossa Senhora da Glória - relembra coroação da Virgem como rainha

Nossa Senhora da Graça - imagem encontrada por pescadores na praia de Cascai, Portugal, em 1362 e que apareceu a Catarina Álvares

Nossa Senhora das Graças ou da Medalha Milagrosa - relembra uma aparição feita a Catarina Labouré, em Paris;

Nossa Senhora de Guadalupe - Aparição ao índio Juan Diego, em Guadalupe, México, em 1531

Nossa Senhora da Guia - relembra que a Virgem Maria guiou Jesus, na sua infância e juventude; é chamada pelos ortodoxos de “Odegitria” (‘οδεγός);

Nossa Senhora da Lampadosa - relembra a padroeira da ilha de Lampadosa;

Nossa Senhora da Lapa - Imagem escondida dos muçulmanos numa lapa, no século X, pelas monjas beneditinas de Aguiar da Beira, sendo encontrada em 1498, por uma menina, que muda de nascença, começou a falar

Nossa Senhora do Leite ou da Lactação - relembra a Virgem nutrindo o Menino-Deus com seu leite materno;

Nossa Senhora do Líbano - relembra a milenar devoção dos libaneses à Virgem Maria, e também o santuário construído, entre 1904 e 1908, no cume Haruça no Monte Líbano, para honrar a Imaculada Conceição de Maria;

Nossa Senhora do Livramento - relembra o livramento do fidalgo português Rodrigo Homem de Azevedo, preso pelo Duque de Alba no século XVI;

Nossa Senhora do Loreto - refere-se à “Casa de Nazaré”, onde viveu a Virgem Maria, transladada para um bosque de loureiros, próximo a Recanati, na Itália;

Nossa Senhora de Lourdes - Aparição, no século XIX, na Gruta de Massabielle, em Lourdes, França;

Nossa Senhora de Lujan - refere-se a uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, mandada esculpir no Brasil em 1630, por um portugês, residente na argentina; que ao ser transportada, encalhou às margens do Rio Lujan ;

Nossa Senhora da Luz - imagem encontrada por Pedro Martins, entre uma estranha luz, que lhe apareceu em Carnide, Porgal; Maria é lembrada como aquela que apresenta seu Filho Jesus como “Luz das Nações

Nossa Senhora Madre de Deus - relembra a maternidade divina de Maria, cultuada desde os primeiros séculos e confirmada Concílio de Éfeso;

Nossa Senhora Mãe da Igreja - relembra a proclamação de Maria como “Mãe de todo o povo de Deus”, Papa Paulo VI, durante o Concílio Vaticano II.
Nossa Senhora Mãe dos Homens - devoção surgida no convento de São Francisco das Chagas, no bairro de Xabregas, Lisboa, relembrando que Maria além de Mãe de Deus é Mãe de todos os homens

Nossa Senhora das Maravilhas - relembra que a vida de Maria foi uma sucessão de maravilhas, das quais a maior foi a encarnação do Verbo. Isto atesta a própria Virgem, no canto do "Magnificat";

Nossa Senhora dos Mares - Desde os primeiros séculos do cristianismo, Maria é invocada como protetora das viagens marítimas

Nossa Senhora dos Mártires -
Invocada em homenagem dos cristãos que tombaram no Cerco de Lisboa, em 1147


Nossa Senhora Medianeira - relembra o papel de intermediária entre o fiel e Jesus, devoção que teve origem em Veneza, durante a grande epidemia de 1630

Nossa Senhora de Međugorje - Aparição em Medugorje na Bósnia

Nossa Senhora Menina - Relembra a infância da Virgem, do nascimento aos três anos junto a seus pais, São Joaquim e Santa Ana e dos três aos doze anos, no Templo de Jerusalém;

Nossa Senhora das Mercês - Relembra a aparição a São Pedro Nolasco, no início século XII, solicitando a criação de Ordem destinada ao resgate de cristãos feitos cativos pelos muçulmanos

Nossa Senhora dos Milagres - Relembra os grande prodígios operados pela Mãe de Deus, Onipotência suplicante e canal de todas as graças, a quem nada Deus recusa;

Nossa Senhora da Misericórdia - Por conseguir inúmeros benefícios de Deus para os homens, Maria é chamada “Mãe de Misericórdia”; o título também lembra a proteção da Virgem às Santas Casas de Misericórdia, cuja primeira foi fundada em Lisboa, em 1498;

Nossa Senhora do Monte - Relembra que a Virgem é um monte altíssimo, que vence a altura de todos os outros montes, em santidade e virtude

Nossa Senhora de Monserrat - Relembra que a Virgem é um monte altíssimo, que vence a altura de todos os outros montes, em santidade e virtude

Nossa Senhora de Muquém - relembra o auxílio da Virgem Maria a um garimpeiro português, na vila de São Tomé de Muquém, no início da mineração em Goiás, Brasil

Nossa Senhora da Natividade - relembra o nascimento da virgem Maria, que, segundo a tradição, foi num sábado, 8 de setembro do ano 20 a.c, na cidade de Jerusalém

Nossa Senhora dos Navegantes - Maria é invocada como protetora dos navegantes, devoção que teve seu auge durante as cruzadas e, depois, durante o período das grandes navegações;

Nossa Senhora de Nazaré - relembra a vida da Virgem Maria, em Nazaré, junto à sua sagrada família;

Nossa Senhora Neves - refere-se a um milagre, anunciado pela Virgem Maria, de que em pleno verão, na noite 4 para 5 de agosto em Roma, o que realmente aconteceu no local onde hoje se ergue a basílica de Santa Maria Maior

Nossa Senhora do Ó - Alusão à Nossa Senhora nas proximidades de seu parto. Houve um sermão proferido pelo Padre Vieira, onde compara as virtudes de Maria à "perfeição da letra o", símbolo da imortalidade e de Deus, de quem Maria é mãe. Referências às sete antífonas do Ó, nas proximidades do Natal.

Nossa Senhora da Oliveira - refere-se a uma imagem levada para Guimarães, Portugal, por São Tiago, que a colocou num templo, ao lado qual havia uma oliveira. Também, a Virgem Maria é comparada na passagem bíblica: “sua glória é igual ao fruto da Oliveira” (Os 14,6);

Nossa Senhora do Parto, do Bom Parto - recorda a proteção da Virgem Maria às mães que estão para dar à luz

Nossa Senhora do Patrocínio - relembra a intercessão da Virgem Maria junto a seu filho, em favor dos homens, como nas Bodas de Caná;

Nossa Senhora da Paz ou Rainha da Paz - relembra a intervenção da Virgem Maria na devolução da catedral de Toledo, Espanha, aos cristãos

Nossa Senhora da Pena - relembra a Virgem como inspiradora e padroeira das letras e das artes;

Nossa Senhora da Penha - relembra o milagre realizado, no início do século XVII, por intercessão da Virgem Maria invocada por Baltazar de Abreu Cardoso, brasileiro, que encontrou uma serpente ao subir um penhasco (penha) que levava à sua fazenda no Rio de Janeiro, Brasil

Nossa Senhora da Penha de França - relembra a aparição da Virgem Maria a Simão Vela, monge francês, na serra chamada Penha de França, no norte da Espanha

Nossa Senhora de Pentecostes - alusão ao dia de Pentecostes quando Maria juntamente com os Apóstolos ficou repleta do Espírito Santo, que veio sob a forma de línguas de fogo;

Nossa Senhora da Purificação - relembra a purificação de Maria no Templo, comemorada com uma procissão luminosa;

Nossa Senhora Peregrina - Alusão à imagem de Nossa Senhora de Fátima;

Nossa Senhora do Socorro- relembra a Virgem Maria como socorro dos cristãos, em suas horas de necessidade.Refere-se a um quadro milagroso da ilha de Creta que após ser roubado, foi recuperado em Roma e posto, no século XIX, sob a guarda dos padres redentoristas;

Nossa Senhora da Piedade- relembra que Jesus, após o descimento da Cruz, foi entregue aos braços de sua Mãe Santíssima;

Nossa Senhora do Pilar - refere-se a uma aparição da Virgem Maria a São Tiago, que estava evangelizando em Saragoça. A virgem lhe apareceu sentada num pilar, donde lhe vem o nome

Nossa Senhora de Pompeia - relembra a aparição da Virgem a Bartolo Longo, em Pompéia, no sul da Itália;

Nossa Senhora da Ponte - refere-se à comparação de Maria à ponte donde passamos da terra para o céu;

Nossa Senhora Porta do Céu - refre-se à máxima que diz: “Ninguém chega ao Pai, a não ser por Jesus; e nimguém chega ao Filho, a não ser por Maria”. Esta é uma das invocações das “Ladainhas Loretanas”, considerando pois que o culto da Mãe de Deus é a porta que leva os fiéis ao paraíso;

Nossa Senhora do Porto - refere-se a uma imagem bizantina colocada no célebre santuário, cuja construção foi iniciada no século VI, no bairro do Porto, em Clermont-Ferrand, na França. Uma cópia deste ícone foi levada na batalha aos muçulmanos, para a retomada da cidade do Porto, em Portugal;

Nossa Senhora do Povo - relembra a construção, pelo povo Roma, de uma igreja dedicada à Virgem Maria, no local onde se erguera o mausoléu dos Domícios, família a qual pertencia o imperador Nero;

Nossa Senhora dos Prazeres - relembra os sete principais prazeres da vida da Virgem Maria: a anunciação, a saudação de Santa Isabel, o nascimento de seu filho, a visita dos Reis Magos, o encontro de Jesus no Templo, a primeira aparição de Jesus ressuscitado, a sua coroação no céu;

Nossa Senhora do Presépio - relembra a maternidade de Maria, na cena do presépio, conforme a franciscana;

Nossa Senhora Rainha - Nossa Senhora sempre foi reconhecida pela Igreja Católica como Rainha. É proclamada, pela Igreja, Rainha por doze vezes: Rainha dos anjos, dos patriarcas, dos profetas, dos apóstolos, dos confessores, das virgens, dos mártires, de todos os Santos, do Santíssimo Rosário, da paz, concebida sem pecado original e levada aos céus.

Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos - relembra que a Virgem Maria foi mãe, mestra e rainha dos apóstolos, que lhe devotavam especial veneração;

Nossa Senhora Rainha do Céu - relembra a coroação de Maria, após sua assunção aos céus;

Nossa Senhora Rainha dos Homens - relembra que Maria é rainha de todos os homens, portanto digna de todos os louvores, por parte de todos;

Nossa Senhora Rainha, Vencedora e Três vezes Admirável de Schoenstatt - Imagem da Virgem Maria, padroeira doMovimento Apostólico de Schoenstatt, e relembra a aliança de amor que o padre Joseph Kentenich (1885 - 1968), selou pela primeira, com a Virgem Maria.;

Nossa Senhora dos Remédios - relembra a Virgem Maria como único remédio para todos os nossos trabalhos, angústias, necessidades e doenças;

Nossa Senhora do Rocio - imagem encontrada no mar, no final do século XVII, por um pescador que vivia em Rocio, próximo a Paranaguá;

Nossa Senhora do Rosário - relembra a aparição da Virgem a São Domingos de Gusmão, no século XIII, pedindo-lhe a divulgação do seu rosário de orações;

Nossa Senhora do Sagrado Coração - relembra que de Maria foi formado o coração divinal de Jesus;

Nossa Senhora da Salete- relembra a aparição da Virgem Maria, a 19 de setembro de 1846, a dois pastorinhos, na montanha de Salete, Isére, nos Alpes franceses;

Nossa Senhora da Saudade - relembra a imensa saudade que a Virgem Maria teve de seu filho, nos três dias incompletos que seu corpo esteve no sepulcro;

Nossa Senhora da Saúde - relembra que a Virgem Maria é fonte de vigor físico e moral para os homens;

Nossa Senhora Salvação do Povo - relembra que a Virgem Maria sempre socorreu o povo Roma, em todas as suas situações de necessidade.

Nossa Senhora do Sion, do Sião - relembra a aparição da Virgem Maria, em 1842, em Roma, a Alfredo Ratisbona, ateu de origem judaica, convertido ao catolicismo;

Nossa Senhora da Soledade - relembra a solidão, a tristeza e saudade da Virgem Maria, por ocasião da paixão de seu filho;

Nossa Senhora do Trabalho - relembra a devoção de todo Trabalhador por maria, por nossa senhora aquela que sempre abençoa os trabalhos;

Nossa Senhora do Terço - similar à invocação de Nossa Senhora do Rosário, mas refere-se apenas a cinco mistérios da vida de Jesus;

Nossa Senhora da Visitação - relembra a visita da Virgem Maria a sua prima Santa Isabel;

Nossa Senhora da Vitória - relembra que a Virgem Maria, vitoriosa, pode levar os cristãos à vitória em suas vidas. Em Portugal, foi introduzida a devoção D. João I, para comemorar a vitória na Batalha de Aljubarrota.


Maria Mãe de Jesus, rogai por nós pecadores!

Nilton de Carvalho
Vocacionado - Diocese de Guarulhos.

Vocacional Masculino e Feminino

"Vem, segue-me..."

"Vem, segue-me..."
Clique aqui e saiba mais

Pastoral Vocacional

Pastoral Vocacional
Quer saber mais sobre a caminhada vocacional? Escreva para: vocacionalguarulhos@hotmail.com

Visitantes on-line

Ocorreu um erro neste gadget

Bispo Diocesano

Bispo Diocesano
Dom Joaquim Justino Carrera - "PAX VOBIS" (Jo 20,21s)

Arquivo

Contato

Contato
Ocorreu um erro neste gadget